23 de mai de 2012

RENDAS DIGITAIS NAS PAREDES DO SESC


Um mural com o trabalho da série "Rendas Digitais"
foi instalado ontem no SESC Consolação
a obra feita em impressão digital sobre tecido de algodão adesivo
mede 2,30 x 6,36 m
Mais imagens acesse o Facebook (cristina suzuki)

10 de out de 2011

EXPOSIÇÃO PROLONGADA ATÉ 30/11/2011
Fotos da abertura no Facebook

21 de ago de 2011

21 de jul de 2011

XX SALÃO DE ATIBAIA

Três obras da série Novos e Velhos Clichês para Era Contemporânea estão na Mostra que vai até dia 06/08/2011. Centro de Convenções Victor Brecheret - Av. Lucas Nogueira Garcez - Atibaia - SP


18 de jun de 2011

MOSTRA CARNE FRESCA - Minas Gerais

Carnes maduras, porém frescas
06/06/2011 - Por Mauro Morais

Multiplicidade talvez não seja a melhor forma de definir uma mostra coletiva. Pode soar redutor demais reunir todas as obras num mesmo contexto interpretativo. Na exposição Carne Fresca 2011, que inaugura na próxima sexta-feira, dia 10, às 20h, na galeria Hiato – Ambiente de Arte, a ideia principal é estabelecer o espaço de cada criação, visto a própria uniformidade do projeto. O uso do termo amadurecimento pode ser mais apropriado, já que o termo pode ser incorporado à todas as obras.

Sob o tema O limite do novo, o edital desse ano foi lançado em março, prevendo a seleção de jovens artistas e a homenagem a um veterano. Após um longo processo, a banca, responsável pela seleção e composta pela professora do Instituto de Artes e Design da UFJF Rosane Preciosa, e os artistas plásticos Ramon Brandão e Petrillo, chegaram a doze nomes. “Para mim os trabalhos selecionados revelam que estes jovens artistas estão compromissados com modos de ver, sentir e pensar diferentemente do que se pensa.”, analisa Rosane.

Com propostas variadas Alessandra Fonseca (rizza), Ana Luiza Affonso, André Castanheira, Carlos Eduardo Oliveira, Chadas Ustuntas, Cristina Suzuki, Edson Rodrigues, Frederico Oliveira, Gustavo Machado, Julia Milward e Luiz Gonzaga se encontram no mesmo espaço, que ainda recebe a veterana Andréa Senra, como artista convidada. “Esse projeto visa mostrar que há uma grande produção de arte em Juiz de Fora. A ideia é movimentar, contribuir com a cena local”, explica Petrillo, membro da banca e responsável pela galeria.

Novos limites

De um projeto de intervenção no prédio do Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora – criação de Ana Luiza Affonso – a um labirinto representativo de uma composição musical – obra de Chadas Ustuntas –, a exposição revela inúmeras interpretações do tema genérico, proposto como “alfinetada” pela galeria.

“Acredito que o novo está na produção contemporânea. E seus limites estão em como podemos utilizar nossa produção diante de um longo percurso da História da Arte”, afirma Alessandra Fonseca, que assina artisticamente como rizza, e expõe fotografias numa caixa de luz (backlight). Utilizando a mesma linguagem, o jovem André Castanheiras reproduz em fotografias fragmentos de uma construção, simulando uma explosão. “Todos os trabalhos escolhidos me pareceram mais consistentes em suas pesquisas. Revelavam um núcleo com força de desdobramento, de ampliação de rumos”, avalia Rosane Preciosa.

A força sugerida também encontrou ecos no humor de Cristina Suzuki, que versa sobre clichês cotidianos numa crítica ácida à contemporaneidade. Num tom semelhante, Edson Rodrigues estréia no cubo branco falando sobre lixo. “É interessante ver os inúmeros caminhos escolhidos por esses artistas. Há uma visível ousadia, e isso move o Carne Fresca. Essa ideia de experimentar, de arriscar é fundamental, e é o que perseguimos”, diagnostica Petrillo.

Apesar de já apresentar uma carreira sólida, somando mais de dez exposições, Andréa Senra marca, na mostra, seu retorno à produção artística. Em 2009 a artista e professora envolveu-se com o doutorado, feito em Portugal, e deu uma pausa na arte. “O trabalho dela é extremamente maduro, e soma, em muito, às outras obras, já que é fruto de uma intensa pesquisa, de uma imersão nas reflexões acadêmicas”, observa Petrillo, sugerindo o espaço do veterano, na mostra que expõe, com clareza, os limites entre multiplicidade e diversidade.

10 de mai de 2011

Abertura Salão de Arte Contemporânea de Santo André

Sheila, uma recente amiga que também recebeu prêmio aquisição, lado a lado com meus trabalhos.
Angela Camata, Cristina Suzuki, Gabriela Noujaim, Carolina Paz e Fernando Ekman Simões - de quem copiei esta foto - todos participantes do Salão! Os trabalhos ao fundo são de Fernando.
 Os trabalhos selecionados.
A obra que recebeu prêmio aquisição.

17 de abr de 2011

EXPOSIÇÃO FOTOCELULAR - Visita Monitorada

Na quinta-feira desta semana, realizamos a primeira visita monitorada a exposição de artes visuais no Gambalaia.
Recebemos a ONG Casa de Lucas, que fica em Santo André, próximo ao Gambalaia.
Adolescentes entre 11 e 13 anos são coordenados pela professora Gláucia Adriani,
voluntária da entidade.
 
Gabriel César falando sobre seu trabalho de "Vídeo Celular", antes da exibição dos mesmos.
Todos estavam com seus aparelhos prontos pra registrar tudo.

13 de abr de 2011

39º Salão de Arte Contemporânea de Santo André

Estes são os trabalhos selecionados para esta mostra. Um deles recebeu Prêmio Aquisição.
Clichê de Loira
 Clichê de Deus
 Clichê de Telemarketing
Prêmio Aquisição

24 de mar de 2011

CRISTINA SUZUKI - FOTOCELULAR

Nesta individual apresento 27 novas imagens da Série iniciada em 2006, em ampliações no formato 5x6 cm. Há também outras 4 imagens 30x60 cm.
O convidado especial Gabriel César, um jovem artista de 14 anos, apresenta uma série de vídeos (intitulados Vídeo Celular) também feitos com uma câmera de celular.
Na noite de abertura (23/3/2011) os vídeos projetados em grande formato, seguidos de imagens mais antigas do Fotocelular. Durante o período da mostra os vídeos serão exibidos em TV no espaço expositivo.
44 trabalhos da primeira versão da Série estão sendo vendidos a R$ 9,90 cada e podem ser levados pelo comprador no ato da compra. As obras em formato 10x15 cm também estão à venda (R$ 19,90 cada) podem ser adquiridas porém serão entregues após o término da exposição.
Os trabalhos 30x60 cm custam R$ 300,00 cada e há também o Box Fotocelular - são as 27 imagens que fazem parte da exposição ampliadas em papel mate e acondicionadas em uma embalagem especial. São 3 exemplares somente a R$ 270,00 cada. Para aquisição, entre em contato: criz.suzuki@terra.com.br

Cristina Suzuki e Gabriel César na entrada do Gambalaia

Intervenção nas janelas: Espaço para o espectador experimentar alguns enquadramentos.

A imagem 30x60 cm acompanha a construção das ampliações 10x15 cm.

Vista geral da mostra

Sequência de registros de um mesmo lugar em vários momentos
 
Leia os textos sobre a exposição e imagens dos trabalhos em
 
Fotos de Gabriel César durante o vernissage 
 
Projeção das imagens de 2006/2007 da série
 
Painel com as fotografias à venda por R$ 9,90
Alex, Damara, Douglas, Cristina e Gabriel - sem saber para onde olham...
e agora Gabriel sabendo bem pra onde olha.
E todos os presentes encontraram uma forma de se divertir.

16 de dez de 2010

ARTE PARA PRESENTE

LIVRO-OBJETO DE POEMAS HUMANA FLOR
R$ 29,00 mais frete (R$5,00)
envie email para
cristina@cristinasuzuki.com.br e solicite informações para compra.










20 de nov de 2010

Arte que fala da arte, arte que re-liga - por Dalila Teles Veras

Acabo de voltar de uma longa conversa com artistas (júlio, sueli, rafael, damara, moisés, guedo, márcia, bia, eduardo, carlos, carlos, cristina, coligações, interessados em geral). Falamos de arte com a naturalidade com que acordamos, comemos, tomamos banho, dormimos. A arte e a política, a arte e o cotidiano, a arte como modo de vida.
Eis a ata, apropriações indébitas que, secretária ad hoc, sem convite, assumo e assino:
reflexões sobre movimentos
(nome que vira projeto)
a cidade vista como nunca antes
explosão
arte não sacralizada, possível para todos
território expandido
idéias coligadas
a paisagem noturna do ir e vir
ninhos e casulos
proximidade com a violência
a poética da violência em fichas presidiárias
a co-responsabilidade com a violência
saco aparentemente vazio, cadáver adiado
a violência presente sem que seja presenciada
luz verde que apontar para a banalização
ausência de cordialidade
o recado das ações públicas nos objetos domésticos
já que a rua é de ninguém, responsabilidade nenhuma
os passos obscuros andam em círculo e apontam
a política tão distante e escondida
presente nas coisas não procuradas
buscas involuntárias que se amarram em fios
e (re)significam
cem mãos e cinqüenta cabeças, vivas e mortas
linhas mitológicas que diferenciam e ligam
desconfortos e aberrações, emoções negativas
humanos e velhos sentimentos em rostos atuais
babel urbana, guernica global
fio condutor que abre para assuntos paralelos
a realidade que tem como característica ser invisível
ainda não digeridas pelo humano
coisas incompreensíveis
especulações sobre parábolas do mistério do universo
descartar os rebeldes, os custosos para o estado, os incômodos
apertar o botão - suicídio não pecaminoso
(500 pessoas desaparecem por dia no Brasil – apertaram o botão?)
na periferia da periferia, um fusca - detrito
a periferia seres apáticos, detritos
flâmulas vermelhas ao vento (eine rote linie)
eterno e perigoso retorno – área de guerra e conflito
protegida por tapumes
a obra a partir do ouvido, sem visto ser
a obra produzida pelo som
um ser e seus fios, buraco no tórax
marionete (amarrada ou conduzida?)
pontas desconhecidas
seres engravatados grampeados
sexo comprado com dinheiro público
tv substituída pela Internet
fala que não fala nada
discurso que parece transparente
mas não é
mas não é...

Aqui já sou eu, Cristina Suzuki, agradecendo a disponibilidade e disposição de todos que estiveram ontem no encontro e a todos que são sempre muito delicados comigo.

17 de out de 2010

13 de out de 2010

EXPOSIÇÃO COLIGAÇÕES

Doze artistas da região do ABC que produzem arte contemporânea e que estão a fim de discutir, trocar idéias e vivências.

Trabalho apresentado na mostra: Série Delicatessen
montada como instalação na Livraria Alpharrabio


13 de set de 2010

4 de mai de 2010

ABERTURA SALÃO DE SANTO ANDRÉ - 22/4/2010

Eu e meu trabalho que está na mostra.

Parte da exposição.

As wicas a solta, porém reunidas:
Luzia Maninha, Penélope Martins, Dalila Teles Veras, Cristina Suzuki e Sueli de Moraes

Artistaiada toda: Carlos Ribeiro, Júlio César Rossi, Bia Toth, Eduardo Nunes e Eric Ferreira